Guerrilheiros Cibernéticos

25/02/2010

O Texto a baixo, e que eu tomei a liberdade de postar, é do amigo Francisco Dias Filho (Educador, Comunicador e pós-graduado em gestão e planejamento estratégico)

Guerrilheiros Cibernéticos

O Homem, que, nesta terra miserável, mora, entre feras, sente inevitável necessidade de também ser fera”.

Quem disse isso foi Augusto dos Anjos, com quem concordo. Pois, no momento, tenho uma grande ressonância feroz. Incomoda-me ver, em alguns comunicadores, tanta rudez. Como também, comove-me ver pessoas manipuladas por mentiras. Infelizmente, estamos arraigados a ineficazes modelos de comunicação, cercados por inimigos e com a maioria da população sem saber pensar. Esta situação me leva escrever, para expulsar a alcatéia que há mim.

Há o Guerrilheiro. Há o Guerrilheiro Cibernético. Ambos são artesãos. Eles têm domínio técnico sobre a matéria e o virtual, ferramentas e processos de produção artesanal de sua especialidade. O primeiro, transforma guerra em arte. Pois, a estratégia e a emboscada são suas melhores armas.  Basta conferir os livros: Arte da Guerra ou o Livro dos Cinco Anéis. Aconselho a leitura. Seu combate é no meio físico.

O segundo, transforma átomo em bits, bits em “arma” e “arma” em piada. Pois, a maioria de suas vitimas “morrem” rindo. Este consegue fazer de uma vírgula um conteúdo de grande poder destrutivo. Seus ataques são sempre com inteligência, criatividade e inovação. Com extrema mobilidade consegue surpreender o inimigo e deixá-lo pensando: Será que isso está acontecendo? Sua batalha é na internet.

Portanto, a saída desta situação de angustia demanda a criação do grupo, GC, Guerrilheiro Cibernético – com o objetivo de lutar no seu espaço natural, internet, para intervir no mundo real. Apropriando-se do Marketing de Guerrilha – “arma” utilizada pelos fracos em combate aos fortes, para o contra-ataque estratégico, invasivo e eficaz aos inimigos reais.

O Marketing de Guerrilha foi utilizado pelos vietnamitas para vencer o exercito dos Estados Unidos. De um lado, soldados bem treinados e com boas armas, do outro, guerrilheiros que usavam métodos não-convencionais e ataques-surpresa ao inimigo sem necessidade de ficar na linha de frente. Por isso, o GC, Guerrilheiro Cibernético, ao fazer uso desta ferramenta, na internet, onde, não existem as três leis da física: espaço, tempo e massa. Consegue interferir de forma drástica no mundo real.

A internet – em si – já é uma “arma” poderosa. Ela pode fazer a paz ou a guerra. Nela, contém dispositivos que se assemelham as armas do mundo bélico. Por exemplo:

Palavra: MUNIÇÃO – Este conteúdo quando bem preparado o efeito e desastroso.
Youtube: O CATIVEIRO Você aprisiona o inimigo com bombas (munição).
Twitter: LANÇA TORPEDOS – Dispara a munição e os seguidores, ainda, replicam…
Newsletter: MISSEL TELE-GUIADO – Ele pode conter informação ou invasores.
Firewall: ESCUDO –  Este pode servir de defesa.
Pendrive, CD, DVD ou e-mail: GRANADAS – Quando abertas detonam o seu PC.

Portanto, Guerrilheiro Cibernético, “um tiro, um tombo”. Pois, para o tiro ser perfeito, defina seu inimigo, conheça seu ponto fraco e tenha clareza do motivo. Depois, monte uma metodologia objetiva e precisa. Mas, não peca o foco, mantenha a determinação, o querer e a perseverança sempre alinhados. Aí, é só escolher o dia do ataque.  O tombo é certo. Pois quem dispara idéias e esforços para todo lado nem sempre atinge o intento. Na guerra, virtual o real, deve-se mirar o alvo, escolher a arma, a arena e controlar o resultado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: